sexta-feira, 10 de novembro de 2017

CALICO JOE (John Grisham)

Sinopse: Um jovem talento. Um veterano egocêntrico. Um arremesso violento. Uma bolada que muda suas vidas para sempre. O norte-americano John Grisham deixa de lado o tribunal que o consagrou, como o grande mestre dos thrillers jurídicos para se aventurar em outro campo. Ternos e togas dão lugar a camisetas e bonés, martelos são substituídos por bastões e luvas em Calico Joe, o mais novo sucesso do autor. Ambientado no mundo do beisebol, a trama começa no verão de 1973, quando uma série de contusões faz o Cubs, time de Chicago, buscar um novo jogador. O escolhido é um jovem e promissor novato de Calico Rock, pequena cidade de Arkansas, Joe Castle. Com uma carreira em ascensão nas ligas menores, Joe rapidamente vira a sensação do beisebol. Quebrando todos os recordes possíveis para um novato, logo Castle se torna o novo ídolo e queridinho da América, inclusive do jovem Paul Tracey, filho de um veterano arremessador dos Mets de Nova York. De temperamento difícil, com uma carreira irregular e em queda, Warren Tracey fica ainda mais ressentido com a idolatria de seu filho por Joe Castle. Quando os Cubs vão a Nova York para jogar contra os Mets, toda a raiva e amargura vem à tona. E um arremesso despropositado encerra uma das mais brilhantes carreiras do beisebol e muda a vida de todos para sempre. John Grisham sempre sonhou em ser jogador de beisebol, e nunca escondeu isto de ninguém. Fã inveterado do esporte, sempre o usou como pano de fundo dos seus livros. O esporte está presente em, por exemplo, em O Homem que fazia chover e A casa pintada, mas em Calico Joe, beisebol é o que move a história. Através dos olhos de Paul Tracey, o autor leva seus leitores a uma emocionante viagem, acompanhando a carreira de Joe e de seu pai, e dos rumos que suas vidas tomam após a bolada. E quem não entende nada de beisebol não precisa se preocupar: o próprio autor escreve um posfácio, onde, segundo ele próprio, tenta explicar o complicado jogo para o resto do mundo.

Meus comentários: eu amo esse escritor e são pouquíssimos títulos seus que não caem no meu agrado. Esse foi um deles. Muitos termos técnicos sobre beisebol, um jogo pouco apreciado no Brasil e pouco interessante para meu gosto. É bem escrito e é inegável o talento do autor, mas para meu gosto acabou sendo muito enfadonho por conta justamente das minúcias sobre as dinâmicas de tal jogo. Com certeza, se os personagens tivessem mais foco que o jogo o livro seria perfeito.

O HOMEM QUE BUSCAVA SUA SOMBRA (David Lagercrantz / Stieg Larsson)

Sinopse: "O homem que buscava sua sombra" é o quinto volume da série Millennium, criada por Stieg Larsson, em que a hacker genial e o destemido jornalista se juntam para lutar contra as piores injustiças, numa trama atual e intensa. O livro será lançado em setembro pela Companhia das Letras e entra em pré-venda em breve. 
Neste quinto volume, Lisbeth Salander precisa passar um curto período atrás das grades, num presídio que também abriga uma das maiores criminosas da Suécia, de alcunha Benito. Na cela ao lado, ela observa uma jovem muçulmana acusada de matar o irmão sofrer ameaças constantes da gangue racista de Benito, a “dona” do pavilhão.
Mesmo sem ter acesso ao mundo exterior, Lisbeth dá um jeito de descobrir mais sobre as partes encobertas de sua infância traumática, depois que Holger Palmgren lhe apresenta pistas sobre um experimento pseudocientífico realizado com gêmeos. Claro que ela irá acionar o destemido jornalista Mikael Blomkvist para ajudá-la a desvendar esse mistério e a defender os desprotegidos, garantindo que os vilões paguem por seus crimes. Assim, a dupla está mais uma vez no cerne de um romance de tirar o fôlego, que aborda de modo fascinante muitas das graves questões que assombram o mundo hoje.

Meus comentários: Fiquei decepcionada com o quinto volume da série millennium. Lisbeth, aquela força da natureza, a anti heroina mais cativante que já conheci foi reduzida a uma jovem com alguns parcos talentos, perdendo a força emanada da personalidade talhada nos três primeiros volumes da série. Foi transformada numa figura pálida, cujo passado misturou-se ao passado de outros personagens criados apenas nesse volume. O jornalista Mikael Blomkvist, embora não me tivesse cativado desde o inicio da saga, foi igualmente despido de seus atributos, se tornando insípido, apagado, reduzido. Como o autor deixou no ar as pendências de Lisbeth com sua irmã, acredito não tardar um sexto volume por aí, entretanto ainda não sei se vou perder meu tempo com tal leitura. Lamentável.

A GAROTA NA TEIA DE ARANHA (David Lagercrantz / Stieg Larsson)

Sinopse: Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist estão de volta na aguardada e eletrizante continuação da série Millennium. Neste thriller explosivo, a genial hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker - uma hacker parecida com alguém que Blomkvist conhece. As implicações são assombrosas. Blomkvist, que precisa desesperadamente de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, como sempre, tem objetivos próprios. Em A garota na teia de aranha, a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores em Os homens que não amavam as mulheres, A menina que brincava com fogo e A rainha do castelo de ar se encontra de novo neste thriller extraordinário e imensamente atual. David Lagercrantz nasceu na Suécia, em 1962. Jornalista, romancista e biógrafo premiado, Lagercrantz foi escolhido para continuar as aventuras de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist.

Meus comentários: Este é o quarto volume da série millennium. Por vários motivos não apreciei completamente os três primeiros volumes e da mesma forma, este quarto volume também não foi inteiramente de meu agrado. Eu li na esperança de encontrar mais de Lisbeth Salander, a anti heroína ímpar que conheci nos volumes anteriores, entretanto, embora ela faça parte do livro e tenha seu quinhão de glórias, eu esperava que ela crescesse mais, que o livro aprofundasse a maturidade da personagem e trouxesse uma exploração maior de seu conteúdo psicológico, o que não ocorreu.Tem bastante ação, uma trama enérgica, mas realmente o meu interesse maior era ver Lisbeth, que me prendeu aos livros anteriores, transformar-se na alma do enredo e, para mim, tal não ocorreu.